A HISTÓRIA DA ROCINHA CONTADA PELA TV ROC

Memória

historia1 O Bairro de São Conrado ganhou este nome em 1916, quando o Sr. Comendador Conrado Jacob Niemeyer ergueu uma pequena igreja em devoção à São Conrado. Logo depois, mas também em 1916, ele concluiu as obras da Avenida Niemeyer doando-a para a prefeitura do Rio de Janeiro, e ainda melhorou a Estrada da Gávea que ganhou esse nome em 1917, após incorporar parte da rua Marquês de São Vicente, na Gavea. Em 1919 a Avenida Niemeyer foi alargada por Paulo de Frontin.

historia5 A Estrada da Gávea com suas belíssimas e sinuosas curvas fazia o chamado “Trampolin do Diabo”, e entre 1933 e 1952 serviu para as corridas automobilísticas do circuito da Gávea. Em 1971, ocorreu a inauguração do Túnel Dois Irmãos (atual Zuzu Angel) e o prolongamento da auto-estrada Lagoa-Barra. O Shopping São Conrado Fashion Mall surgiu no ano de 1982.

O surgimento da Favela da Rocinha foi iniciado em 1930, com os seus barracos e lavouras.  Seu maior crescimento deu-se entre as décadas de ‘70 e ‘80, transformando-a em uma das maiores favelas do Rio de Janeiro. Em 18 de Julho de 1993, sobe a lei 1995, e a Rocinha virou Bairro, com isso, tendo sua Região Administrativa própria.

historia8 Segundo histórias contadas através de livros e depoimentos de pessoas que residiram e residem na Rocinha, contam que a comunidade recebeu seus primeiros habitantes, logo após a II Guerra Mundial, vindos de Portugal, França e Itália. Eles viviam, basicamente, da agricultura e possuíam pequenas roças e vendiam suas produções no povoado vizinho (Na feira da Praça santos Dumond na Gávea). Daí surgiu o nome Rocinha. Mineiros, baianos e imigrantes da região nordeste, chegados em meados dos anos 50, também fazem parte deste crescimento populacional.

Na década de 70, surgem discussões de grupos organizados, visando o desenvolvimento social da comunidade. São reivindicados perante ao poder público, saúde, educação, água, luz e saneamento básico. A água e a luz chegam em algumas residências. Na década de 80, surgem as escolas, creches e centros comunitários. É implantado o Centro de Saúde, o Núcleo da CEDAE e a Região Administrativa. O comércio, dos mais variados, cresce a cada dia. A população, com 80% oriundos da região nordeste, faz parte dos 120 mil habitantes. Através da Lei 1995 de 18 de julho de 1993, a Rocinha é transformada em bairro e a partir daí, grandes investimentos e empreendimentos começam a compor este universo de hoje. O poder público e os serviços instalados em parceria com empresas privadas, oferecem à população todo o tipo de assistência.

historia6 Segundo dados do IBGE do ano 2000 há um total de 56.338 moradores com 16.999 domicílios, dos quais 23.067 crianças e jovens entre 0 e 20 anos. Em 2001 a Light, empresa fornecedora de energia elétrica, realizou um levantamento de 25.000 domicílios. Considerando que a média é de 4 a 5 moradores por domicílio, a Rocinha teria aproximadamente 75.000 moradores. De acordo com estimativas recentes da Associação de Moradores, porém, presume-se que esse número já chegue em torno de 160.000 habitantes. Considerada a maior favela da América Latina, possui uma área ocupada de 877.575 m² segundo dados de 1999 do Instituto Municipal de Urbanismo Pereira Passos (IPP – RJ).

A igreja Nossa Senhora da Boa Viagem é um ponto forte na Rocinha e tem suas curiosidades e histórias, segundo o Padre Manoel de Oliveira, o Padre Manangão, que foi transferido para a Rocinha em 1983 (quando a igreja local ainda não era paróquia, mas uma capela ligada à paróquia de São Conrado), Manangão surpreendeu a Comissão ao informar que o terreno, a construção da Capela e a casa paroquial foi obra de nossos frades, na década de 30; e que a informação consta do livro do Tombo. Portanto, a Igreja Matriz tem 70 anos de construção. É simples, modesta e tem capacidade para umas 300 pessoas. Em 1985, a Capela foi transformada em paróquia e Padre Manoel se tornou o primeiro pároco. “Como toda construção na favela, a igreja localiza-se numa ladeira, com possibilidade de aumento para o dobro de pessoas”, afirma o Ministro Provincial.

A casa paroquial também é bem simples, mas grande o suficiente para abrigar a nova fraternidade. Cheia de escadas, como convém a um terreno no morro. Há ainda um pequeno salão paroquial e outras dependências menores, inclusive um terreno para horta e alguma árvore frutífera. O campo de evangelização na Rocinha é imenso, tem 43 pastorais diferentes. Só na catequese, 900 crianças se preparam para a Primeira Eucaristia. São celebradas oito missas nos finais de semana. A Paróquia tem 8 comunidades eclesiais, com celebração dominical dos Ministros e missa uma vez por mês.

Rocinha

historia3 Em 2004, eram 14 sub-bairros (Barcelos, Rua 1, Rua 2, Rua 3, Rua 4, Cachopa, Roupa Suja, Vila Verde, Macega, 199, Vila Cruzado, Laboriaux, Boiadeiro e Dionéia). Em 2009, são em torno de 25 sub – bairros( Barcellos, Rua 1, Rua 2, Rua 3, Rua 4, Cachopa, Roupa Suja, Vila Verde, Macega, 199, Vila Cruzado, Laboriaux, Boiadeiro, Dionéia, e mais: Portão Vermelho, Vila Vermelha, Cachopinha, Valão, Cidade Nova, Viva Verde, Laboriaux, Terreirão da R. 1, Terreirão da R. 2, Trampolim, Pastor Almir e Cesário).

Existem na Rocinha 3 Associações de Moradores, líderes na área de cultura, esporte, meio ambiente, Associação do Comércio, com mais ou menos 1.200 filiados, CIEPs (Centros Integrados de Educação Pública), jornais comunitários (Jornal Rocinha Noticias e Jornal Katana), portal (Rocinha.org), vários sites, rádios comunitarias (Brisa,Katana, Gávea, Rocinha), Posto de Saúde, 3 agências bancárias (Caixa Econômica, Itaú e Bradesco), 4 linhas de ônibus (546,591,592 e 593), supermercados (vários), Escolas Públicas , Balcão de Direitos, rede de televisão exclusiva (TV ROC), Paróquia (Igreja Nossa Senhora da Boa Viagem) com 10 capelas pela comunidade, Igreja Metodista e de outras denominações, agência dos CORREIOS, escola de samba (Acadêmicos da Rocinha), e diversas instituições que oferecem cursos (alfabetização, profissionalizantes, artesanato, dança, lutas, informática, etc.); serviços sociais e um variado conjunto de atividades para todas as idades. 98% dos domicilios da Rocinha tem aparelhos de Tv. Segundo o último censo, existem na Rocinha 35 mil domicílios e em torno de 2.700 estabelecimentos comerciais. São vendidos na comunidade em torno de 180 butijões de gás ao dia, a LIGHT fornece 3.200 MWH/de energia ao mês. Os valores dos imóveis de aluguel variam entre R$ 250,00 e R$ 650,00, e o Valor de um quarto e sala esta na média de 35.000,00 (35 mil Reais).

Tags: , , , , , , , , , , , , ,

4 comentários para “A HISTÓRIA DA ROCINHA CONTADA PELA TV ROC”

  1. Dileta disse:

    Oi, pessoal
    Estava procurando material para meu livro didático de português, especificamente para um capítulo que fala sobre a importância do resgate da memória para um povo. Então encontrei o site de vocês, com matérias excelentes e este incrível varal de lembranças. Vou aproveitar no livro. Depois a editora entra em contato para pedir autorização.
    Parabéns pelo trabalho. Na comunidade e no site.
    Abraços
    Dileta

  2. Gustavo Schröpfer disse:

    ..Sou estudante da Universidade Federal do Rio Grande do Sul e estive na Rocinha em um vivência no Sistema Unico de Saúde (SUS), mais propriamente no Complexo de Saúde da Rocinha. Desde que cheguei lá fiquei curioso pra saber quando havia surgido a Comunidade da Rocinha, mas as pessoas com quem conversei não sabiam extamente…bom, acho que agora sei um puquinho mais…agradeço as informações…Muito legal o blog de vocês!!!!

  3. natalia disse:

    preciso de uma historia verdadeira para o dever de casa

  4. Meus amigos,eu morei aí na Rocinha em 1955,assisti muitos jogos no Campo do Esperança.Ali perto era o Largo do Boiadeiro.Será que não poderíamos achar alguma foto daquele tempo?Pedindo aos antigos moradores que colaborassem ou quem sabe procurar nos arquivos de jornais antigos.Fica aqui a minha humilde sugestão.Um grande abraço e que Deus abençoe a todos vocês.

Deixe um comentário