‘INFORME DOUTOR’ – Por: Marco Antonio Ferreira Caixeta

Doutor CaixetaQuando no início de março deste ano comecei meu trabalho de emergencista na UPA-Rocinha, procurei alguns espaços onde eu pudesse colaborar com a comunidade da Rocinha. Por uma feliz coincidência, depois de longos anos, reencontrei meu amigo OCIMAR SANTOS, que abriu as portas do Rocinha.org para divulgar este meu trabalho.

Ocimar solicitou então que eu contasse essa experiência inicial de prestar serviços médicos na UPA-Rocinha  … como tudo começou.

O INÍCIO

Trabalhar na Rocinha foi minha escolha, quando solicitei a OS Viva Comunidade para ser remanejado da Clínica da Família do CMS D. Hélder Câmara, que se encontra em fase de organização, para a UPA – Rocinha.

Foi um caso de amor à primeira vista quando conheci as instalações da UPA, além de gostar do trabalho de emergencista. Os resultados acontecem na hora. Não podemos perder tempo, mesmo que tenhamos que transferir os pacientes mais graves para unidades mais bem aparelhadas do que a UPA – Rocinha.

Para os que não sabem, o volume de atendimento na UPA é enorme, logo, a orientação de um fluxo de atendimento dos pacientes é fundamental. Para tal foi criada uma classificação de risco e acolhimento. O importante é que todos são atendidos, dando prioridade, obviamente, aos casos mais graves.

RELAÇÃO MÉDICO-PACIENTE

Tenho procurado dar todo acolhimento e atendimento com qualidade, seguindo as palavras ditas pelo atual Ministro da Saúde, em seu discurso de posse. Tenho procurado também estar atento às necessidades do paciente, priorizando as ações dirigidas à preservação da vida do paciente sem, no entanto, relegar a um plano secundário alguns preceitos básicos do relacionamento médico-paciente. Tenho procurado ainda considerar o medo, a ansiedade e as frustrações de cada paciente e também as minhas próprias, de modo que melhorem a qualidade da minha relação para com eles.

Quero passar para vocês que os médicos de serviços de urgência trabalham em regime de plantões cansativos e geradores de estresse. Normalmente, esses plantões antecedem ou sucedem atividades profissionais em outros locais, aumentando o desgaste. Quero também ressaltar que os médicos recebem pouca formação na área da psicologia médica. A experiência acumulada com o passar dos anos tem servido de ensinamento para mim. O encontro com o médico, o medo da morte, a vivência da dor e a ansiedade gerada pela admissão na UPA – Rocinha são eventos que desestabilizam seriamente o equilíbrio das pessoas.

CONCLUSÃO

Certamente, vários fatores (senão todos) na UPA–Rocinha desfavorecem uma abordagem ampla do paciente, começando pelo excesso de ruídos (que procurarei conscientizar a comunidade sobre a necessidade de limitar o nível de ruído nas circunvizinhanças da UPA–Rocinha), passando pela falta de privacidade e culminando com a necessidade de atendimentos rápidos.

Quero ressaltar que nem sempre é possível diagnosticar corretamente a condição psicológica do paciente. Por isso tenho procurado sempre dar atenção e consideração à pessoa que me procura, fato que, por si só, serve para diminuir seu sofrimento.

Afinal, o fato de o diagnóstico ser um infarto ou uma crise de pânico ser importante, mas não é tudo, pois ao paciente interessa realmente ser ouvido, compreendido e ajudado.

Eu precisava de tempo para me dedicar à comunidade como um todo, pois entendo que tenho mais coisa a oferecer à comunidade. Contem com a minha parceria!

Na verdade INFORME DOUTOR estará atendendo também ao meu anseio de ser útil à sociedade. No momento escolhi a ROCINHA.

Anotem meu e-mail caixeta@infolink.com.br e enviem sugestões, tirem suas dúvidas.

Aguardem informações sobre temas relativos à área de saúde.

Um fraterno abraço,

Dr. Caixeta

Tags: , , , , , , ,

Um comentário para “‘INFORME DOUTOR’ – Por: Marco Antonio Ferreira Caixeta”

  1. Bruno disse:

    Caixeta.

    Para nós que estamos imbuídos em torno de um só objetivo – qualidade total nos atendimentos de urgência e emergência de toda a População da Rocinha e adjacências – é enorme satisfação trabalhar ao lado de profissionais tão dedicados à causa como você. Seja muito benvindo!

    Bruno Ribeiro
    Coordenador de Enfermagem
    UPA 24 horas – Rocinha

Deixe um comentário