Posts com a Tag ‘associação de moradores’

A HISTÓRIA DA ROCINHA CONTADA PELA TV ROC

quarta-feira, 1 de dezembro de 2010

Memória

historia1 O Bairro de São Conrado ganhou este nome em 1916, quando o Sr. Comendador Conrado Jacob Niemeyer ergueu uma pequena igreja em devoção à São Conrado. Logo depois, mas também em 1916, ele concluiu as obras da Avenida Niemeyer doando-a para a prefeitura do Rio de Janeiro, e ainda melhorou a Estrada da Gávea que ganhou esse nome em 1917, após incorporar parte da rua Marquês de São Vicente, na Gavea. Em 1919 a Avenida Niemeyer foi alargada por Paulo de Frontin.

historia5 A Estrada da Gávea com suas belíssimas e sinuosas curvas fazia o chamado “Trampolin do Diabo”, e entre 1933 e 1952 serviu para as corridas automobilísticas do circuito da Gávea. Em 1971, ocorreu a inauguração do Túnel Dois Irmãos (atual Zuzu Angel) e o prolongamento da auto-estrada Lagoa-Barra. O Shopping São Conrado Fashion Mall surgiu no ano de 1982.

O surgimento da Favela da Rocinha foi iniciado em 1930, com os seus barracos e lavouras.  Seu maior (mais…)

GOVERNADOR BATE BOLA E ELOGIA WILLIAM DE OLIVEIRA

sexta-feira, 17 de setembro de 2010

“William é o cara que mais pede pela Rocinha, que mais luta pela Rocinha que eu conheço, e é um prazer porquê é sempre… pedidos corretos… em defesa da população da Rocinha. Ele merece!” (Sérgio Cabral – Governador do Rio)

Não é segredo pra ninguém a admiração do governador do Rio de Janeiro Sérgio Cabral por (mais…)

QUEM SOMOS NÓS PARA CONTESTARMOS A VONTADE DE DEUS?

domingo, 20 de junho de 2010

Jair da Beer e Claudinho da Academia, perdas irreparáveis para a Rocinha

Carnaval de Rua da Rocinha 2008 / Palco Fundação – Foto: Ocimar Santos
Jair da Beer e Claudinho se irmanaram no carnaval popular da Rocinha...

Pouco mais de 5 meses após perdermos uma grande personalidade da Rocinha, leia-se Jair Alves da Silveira, o Jair da Beer, também perdemos Luiz Claudio de Oliveira, o Claudinho da Academia, ambos irmãos deste combalido editor que vos escreve. Não tenho palavras para (mais…)

A DISPUTA DE ZÉ DO QUEIJO E MARIA HELENA

sexta-feira, 19 de março de 2010
DNA das urnas
30/07/2004 – Marcelo Monteiro
rocinhadq_01
Rocinha: disputas políticas nos anos 80

Dois presidentes, duas sedes e duas instituições com o mesmo nome. De um lado, a professora Maria Helena Pereira, apoiada por moradores do Bairro Barcelos e Labouriaux. Do outro, o birosqueiro Zé do Queijo, adorado na Cachopa. No meio, a União Pró-Melhoramentos da Rocinha, principal associação de moradores da comunidade na Zona Sul do Rio que voltava a funcionar após 10 anos, pois tinha sido desativada durante o regime militar. Ambos os líderes se diziam representantes legítimos da favela. E não admitiam de maneira nenhuma abandonar o poder. Nem mudar o registro da entidade. A confusão estava armada.

“Os dois grupos falavam que eram os verdadeiros representantes políticos da favela. Como não houve consenso o poder público teve que interceder”, lembra a agente comunitária Tânia Regina da Silva, de 44 anos, 1ª secretária na (mais…)

UPMMR – UMA “CADEIRA PRA LÁ DE INDIGESTA…”

terça-feira, 16 de março de 2010

A União Pró-Melhoramentos dos Moradores da Rocinha (UPMMR), principal associação de moradores do bairro, tem uma história de lutas e conflitos, alguns dissabores, e muitas conquistas, em seus quase 50 anos de existência.

Fundada em 21 de agosto de 1961, a UPMMR teve a sua primeira sede na Rua Um e chegou a ser desativada durante o regime militar, ficando cerca de uma década sem atuação – período em que o movimento político comunitário praticamente inexistiu. Até que no final dos anos 70, com o passar dos “Anos de Chumbo”, a política comunitária efervesceu na maior favela. Duas correntes políticas, duas associações que se diziam legítimas e donas da mesma sigla: UPMMR. De um lado, o “justiceiro” Zé do Queijo (foto dir.), apoiado pelos nordestinos e por uma Cachôpa que crescia sob seus domínios. Do outro lado, surgia a professora Maria Helena (foto esq.), corajosa, líder de um grupo de jovens mulheres e apoiada por grande parte do Bairro Barcellos, parte baixa da favela. Num pleito que mobilizou mais de 5 mil eleitores, sob a intervenção da Secretaria de Justiça e forte apelo na mídia, por margem apertada, venceram as mulheres guerreiras. A história passaria a mudar á partir dali.
Em setembro de 1987, um tiro calou a voz da professora Maria Helena. Pouco tempo depois foi a vez de José Inácio de Assis, o Zé do Queijo. Os dois assassinatos e suas circunstâncias jamais (mais…)

WILLIAM DE OLIVEIRA: UM FILHO DA ROCINHA

sábado, 13 de março de 2010

*Por: Jose Luiz Lima

ARQUIVO PESSOAL DE WILLIAM DE OLIVEIRA - "Que daria eu ao Senhor por todos os benefícios que tem me feito..salmos 116-12"Willian de Oliveira, Willian da Rocinha ou Willian DJ de fato e de direito é a mesma pessoa, não são personagens diferentes de uma mesma história. Antes de escrever este artigo perguntei para ele se poderia escrever alguma coisa a respeito de sua trajetória de vida. Ele respondeu que sim. E aqui estou eu.

Conheci o Willian no tempo que eu ainda morava na Rocinha. O primeiro Willian que conheci foi o DJ que promovia festas e bailes nas comunidades. Ele tinha uma empresa de eventos. Desde o primeiro contato com ele, alguma coisa me chamou a atenção naquele jovem que gostava de promover festas e agitar o pessoal com os balanços musicais que ele tocava. Logo entendi o apelido de Willian DJ, não era só porque ele tocava nas festas, mas porque o DJ era um diferencial que o identificava junto aos seus pares e também para outras pessoas. Ele não era só mais um Willian, ele era o Willian DJ.

Marcada esta identidade positiva para (mais…)

CONHEÇA A VERDADEIRA HISTÓRIA DE CLAUDINHO DA ACADEMIA

quarta-feira, 24 de fevereiro de 2010

DATA DA POSTAGEM ORIGINAL: 05/08/2008

Da infância pobre na favela da Rocinha, do sonho abortado de seguir carreira no futebol profissional até a ‘inesperada’ carreira política

Governador Sérgio Cabral, Vereador Claudinho da Academia e Pezão em clima de amizade

O 'Nada Consta' também virou o símbolo da virada

Luiz Cláudio de Oliveira, nascido sob o signo de aquário, casado, 37 anos, comerciante, pai de três filhos, seria apenas mais um obstinado “filho da Rocinha” se não fosse um detalhe determinante: a descoberta meio que por acaso, de um impressionante carisma e poder de liderança dentro da cidade popular da Rocinha. Os amigos sempre diziam: “Você deveria entrar pra política! Resolve o problema de todo mundo!”, mas, o próprio Claudinho da Academia não levava isso á sério. Até que um dia, enquanto o presidente da Associação de Moradores William de Oliveira se encontrava preso, e a Rocinha completamente órfã de liderança e representação, Claudinho, indignado com as (mais…)

MURAR O MORRO: ISSO É FALTA DO QUE FAZER!

segunda-feira, 22 de fevereiro de 2010

DATA DA POSTAGEM ORIGINAL: 07/05/2009

Em maio de 1995, o Jornal Arte Astral, tablóide informativo da Rocinha na época, publicava um artigo com o título: “Os Portais do Reino da Barra”, criticando a mobilização da sociedade local de literalmente fechar a Barra da Tijuca com portões de ferro para proteger os moradores daquela região de uma violência que já apavorava a cidade há uma década e meia atrás. O movimento começou após o assassinato de um renomado empresário local, e como a questão do “muro” de hoje, criou muita polêmica, alimentada pela mídia e o clamor da opinião pública. A idéia não vingou cem por cento, mas, de lá pra cá, quase todas as ruas residenciais da Barra da Tijuca foram fechadas por condomínios, grades, portões e em alguns casos com forte aparato de segurança. A violência foi apenas um estopim, pois a necessidade intrínsica (mais…)