Canal Comunitário
Quinta, 14 de Dezembro de 2017
Ouvir Radio
busca
Buscar
Enviar este texto para um amigo          Imprimir este texto            Confira mais notícias relacionadas                         Mude o tamanho do texto Fonte 12 Fonte 14 Fonte 16
Prefeitura lança obras de novo mercado popular na Central
Serão construídos dois prédios de três andares cada, a um custo total de R$ 10 milhões, que ficam a apenas cerca de 200 metros do terreno onde funcionava o antigo camelódromo
Prefeitura lança obras de novo mercado popular na CentralA prefeitura do Rio começou nesta quinta-feira as obras do Mercado Popular Leonel de Moura Brizola, atrás da Central do Brasil, no Centro. O novo mercado ficará a 200 metros do antigo camelódromo do Terminal Rodoviário Américo Fontenelle, que em abril do ano passado foi destruído pelo fogo. Serão 607 novos boxes de comércio popular, que vão abrigar em melhores condições os ambulantes que trabalhavam na região.

— Os comerciantes não vão ter que fazer investimento algum, a não ser investir na qualidade. No mercado, eles mudam de patamar. Essa região vai se valorizar muito. Acaba a desordem que está do lado de fora (no entorno do Américo Fontenelle) e que nos envergonha. Depende deles depois se organizarem, senão a escada rolante quebra com dois dias de uso, por exemplo — afirmou o prefeito Eduardo Paes, que participou do lançamento das obras, nesta quinta-feira.

Com investimentos de R$ 10 milhões, serão construídos no local dois prédios de três andares cada. Um ficará na Rua Bento Ribeiro (do número 85 ao 104), outro na Rua Coronel Audomaro Costa (do número 207 ao 227). Os dois blocos serão ligados por uma passarela, que vai cruzar a Bento Ribeiro.

Ao todo, de acordo com a RioUrbe, órgão que vai executar as obras, o minishopping terá 9,7 mil metros quadrados, e todos os boxes terão ligação de água, esgoto e energia. No bloco I, serão 457 boxes, além de banheiros e almoxarifado. No II, ficarão outros 150 boxes, banheiros, a sala da administração, uma praça de alimentação, terraço com jardim e uma horta. E para o acesso dos clientes e comerciantes entre os andares, haverá elevadores de carga e escadas rolantes.

A previsão é que as obras sejam concluídas em um ano. Até lá, de acordo com Paes, os ambulantes prejudicados pelo incêndio do ano passado — a maioria deles trabalhando espalhados pela cidade atualmente —, continuarão recebendo cursos de capacitação profissional. Dos 546 comerciantes atingidos pelo fogo, segundo um cadastramento da Secretaria municipal de Trabalho e Emprego, 520 já receberam aulas de qualificação em marketing, desenvolvimento financeiro, informações sobre a lei do empreendedor individual e gestão financeira, por meio do Centro Integrado de Atenção à Pessoa com Deficiência Física Mestre Candeia (Ciad).



Fonte: Extra / Foto: Divulgação
Enviar este texto para um amigo          Imprimir este texto            Confira mais notícias relacionadas                        
Faça seus comentários a respeito deste texto
Dê sua opinião
Não há Comentários publicados.

O mais autêntico Blog da Rocinha. Matérias dos tempos antigos e posts do primeiro site www.rocinha.org estão na área de Blog

© Copyright 2007-2015  ® Todos os direitos reservados